domingo, 26 de agosto de 2012

Parabéns, viado!

E quando o amor não é à primeira vista? Bom, o nosso não foi, teve muito de Rebelde e depois McFly envolvido para que pudéssemos nos casar às custas do Joynter/Ponny. Mas acho que quando demora pra acontecer e mesmo assim acontece é porque tem que ser, e é muito certo.

Sempre que vou escrever alguma coisa em aniversários nunca lembro de dar parabéns; tudo o que me vem à cabeça é a pessoa em questão. E ainda mais tu, que é tão presente (um presente) na minha vida, mesmo naqueles dias em que a vida (ou a faculdade) exige tanto da gente que não sobra tempo para mais nada. Então passar tempo contigo é como passar tempo comigo mesma. A gente se parece tanto e gosta de tantas coisas igual. A nossa transmissão de pensamento é tão eficaz que às vezes assusta. É só uma pensar e a outra verbalizar, parece um telefone sem fio. Mas essa transmissão foi sendo construída, não simplesmente aconteceu. Fomos trocando likes e dislikes que moldaram mais ou menos o Universo de referências que temos hoje. Porque se eu falar dandelion and burdock, tu entende. Se eu mencionar um cabelo militar, tu sabe qual é a minha intenção. Se eu disser que esqueci a coreografia de Summer Love, tu me ensina. Até Dougie Poynter já foi teu amor antes de ser meu oficialmente! 

Mas porque tu és mais pé no chão que eu, menos preocupada e ansiosa, a gente pode conviver sem atritos. Não lembro de uma única vez em que brigamos, isso simplesmente não vale a pena para nós. Nós concordamos em discordar, às vezes. Também tem a sinceridade que compartilhamos.

E  eu queria agradecer. Por sempre responder minhas mensagens dramáticas desesperadas, rir (muito) das minhas piadas sem graça e me ajudar a lavar os pratos quando você chega aqui em casa e eu ainda tenho que fazer isso. Também por aceitar meus convites súbitos de ir ao cinema, de vir aqui ou até quando eu me ofereço pra dormir na tua casa. Ah, e obrigada por me deixar assistir Batman com tu e Arthuzinho (duas vezes). Acredite, ainda não teria visto se não fossem vocês. 

Mas, acima de tudo, queria agradecer por ser a pessoa que és, e por me deixar compartilhar e compartilhar comigo as nossas vidas. Espero que esse novo ano te traga infinitas felicidades, saúde, sonhos realizados e amor (muito amor). 

Te amo muito, mulher!

Beijo, beijo,
Sara.

Um comentário:

Sara Brito disse...

Comentário de Juliana Lacerda no Facebook, copiado e colado:

awn meu deus! nem tinha terminado o primeiro paragrafo e já tava chorando! :') como tu consegue isso hein sara? vou nem fazer citações, se não teria que citar o texto todo. Então só vou dizer que também te amo e sempre seremos as Joynter/Ponny das vidas da outra! sim, vidaS, porque não acho possível isso ter começado num passado tão recente! *___________*