sábado, 27 de abril de 2013

"God Bless America"

Eu não sei porque ainda me espanto com a estupidez norte-americana, porque, vamos combinar, existem poucas coisas mais recorrentes do que ela. Mas ficou tão comum, todo dia na mídia, que a maioria nem se importa mais. Isso quando percebem, porque a imprensa poderosa não ajuda nem um pouco a esclarecer nada. 

Eu não costumo assistir a TV, muito menos a Globo, por isso não posso dizer com certeza, mas, do pouco que vi sobre o atentado na maratona de Boston, que aconteceu no dia 15 desse mês, senti muita falta de explicações mais claras sobre o que aconteceu com os suspeitos. Basicamente o que se ouve falar é da super equipada, infalível e nobre caçada das forças policiais norte-americanas pelo suspeito ainda vivo, Dzhokhar Tsarnaev. 

Ontem aconteceu de eu ver uma matéria sobre o Twitter de Dzhokhar, que a inteligência americana havia descoberto e analisado. Corri e fui procurar, para tirar minhas próprias conclusões. Acontece que ele só falava de dormir, da faculdade, de dormir, de garotas e de drogas, com algumas piadas de mal gosto aqui e ali. Ele tava estudando pra ser dentista. Sério, acho que 70% de tudo que ele falava era que tava morrendo de sono e como dormir é bom. Fiquei abismada com as cotidianices e continuei lendo acho que até os tweets publicados em novembro do ano passado. Ele era até engraçado. Um tweet de dois dias depois do atentado foi: "I'm a stress free kind of guy" ("Sou o tipo de cara livre de stress").

Os amigos dele todos ficaram surpresos e só querem ouvir sua versão da história. Um deles inclusive, afirmou que não via Dzhokhar ficando com raiva de alguém, muito menos machucando alguém. Mas isso não se vê na mídia maniqueísta. Eu não estou aqui querendo defender os suspeitos, de maneira nenhuma. Acho que alguém que prepara bombas e as coloca em um lugar público, com certeza tem a intenção de machucar alguém e deve ser penalizado por isso. No dia do atentado, Dzhokhar escreveu um tweet em que dizia: "Ain't no love in the heart of the city, stay safe people." ("Não há amor no coração da cidade, fiquem seguros, pessoal.") 

Mas, logo que ele foi capturado eu pensei, "coitado, ficaria melhor se tivesse morrido com o irmão". Porque as forças policiais americanas são capazes de absolutamente tudo, coisas que ninguém fica sabendo, às vezes. Esse artigo da The New Yorker (que deveria ser lido por todos) diz muita coisa sobre a cultura de percepção norte-americana. Ele faz uma comparação, e imagina como essa história teria sido muito diferente se o atentado tivesse sido feito com armas de fogo. Nele, o autor John Cassidy diz (tradução minha):

"Coloque em um lugar público duas bombas rústicas artesanais, que parecem ter sido feitas com uma receita tirada da internet e o estado fará de você o Inimigo Público Número Um. Para assegurar que você seja pego e punido, virtualmente não há limites para as autoridades. (...) Uma vez pego, eles vão lhe interrogar no seu leito de hospital sem antes ler os seus direitos legais e depois lhe acusar de usar armas de destruição em massa. Se você não nasceu nesse país, haverá ainda conversas sobre mudanças nas leis de imigração."

Faltou falar das centenas de disparos feitos contra o esconderijo do suspeito (quando ele não portava se quer uma arma) que ainda não foram explicados. De novo, não estou, e John Cassidy também não, querendo defender os dois irmãos suspeitos. Apenas seria pertinente que as autoridades norte-americanas prestassem atenção no que estão fazendo e colocassem essa força imensa que é usada quando é de interesse deles em questões que, mesmo depois de Dzhokhar Tsarnaev ser julgado e condenado à pena de morte, ainda persistirão, como o controle do uso das armas de fogo.

O pior é que o pensamento da população anda de mãos dadas com essas ações. Só de ver as pessoas soltando ameaças a Deus e ao mundo e a festança que fizeram quando o último suspeito foi pego... é risível. A superioridade inunda a cabeça deles. Tudo isso pode ser definido por um comentário numa publicação no site do Washington Post com fotos do dia da captura (tradução e grifos meus): "Agora, todo o mundo sabe por quê os Estados Unidos da America é a terra dos livres e a casa dos bravos. Obrigada a toda a força policial, particularmente a polícia de Boston, o FBI, a CIA e os bravos bostonenses pela sua bravura em capturar o suspeito lunático. Esta é uma poderosa mensagem para al-Qaida e seus afiliados extremistas, que vocês irão ser capturados e trazidos à justiça. Deus abençoe a América."

Oi? 

Nenhum comentário: