quinta-feira, 11 de abril de 2013

You're so lucky!


Renato, eu e Camila arrasani!
Não existem muitos shows de bandas estrangeiras na minha cidade. Agora é que Recife tá começando a entrar no circuito de shows bafônicos. (Apesar de que eu fui pra shows da minhas bandas preferidas na minha linda cidade: RBD em 2006 e McFly em 2009 - yeah, these are my favorite bands, deal with it.) Também já teve Jason Mraz, Jack Johnson, Black Eyed Peas, Iron Maden e Elton John. Pensando bem está bem adiantado o bagulho. 

Mas tem uns arrependimentos que eu sinto por não ter ido para certos shows por puro desleixo. Tipo o de Amy Winehouse que teve aqui e eu não fui, logo depois ela morreu. Nunca mais a verei ao vivo, triste. Paul McCartney também veio e eu não fui, tive que ficar aguentando todo mundo comentando o quanto o show foi MA-RA-VI-LHO-SO.

Então, quando saiu a notícia de que Franz fucking Ferdinand iria aportar aqui eu não pestanejei e comprei logo o ingresso. Mesmo sem ter ninguém pra ir comigo. Mesmo só tendo escutado os dois primeiros álbuns deles e sem saber todas as músicas decoradas. Mesmo sem ter escutado eles há um tempo. Por vários dias fiquei implorando a todos que conheço para alguém ir comigo. Nada. 

Já faz um tempo que decidi não esperar por ninguém para ir a lugar nenhum. Aprendi que dá muito mais futuro, e não se perde nada com isso, pelo contrário, se ganha. Já deixei passar muita coisa por falta de companhia. I'll tell you what: não mais. Antes só do que nunca. Então decidi não vender meu ingresso e esperar que aparecesse alguém, por mais desconhecido, pra ir comigo. Do contrário, eu iria sozinha.

Até que, tchanram!, aparece Renato, recém-chegado de Portugal e de ingresso comprado! Posso falar, eu não poderia ter arranjado companhia melhor. Assisti ao show com ele e uma amiga dele, Camila. E foi awesome (não existe palavra em português que se compare a essa e que não seja palavrão)! Mesmo eles tocando muitas músicas do CD que nem saiu ainda e que eu não conhecia, eu pulei tanto, suei tanto, dancei tanto e gritei tanto que fiquei rouca. Acho, acho não, tenho certeza, que quando uma banda é boa, ela é boa mesmo quando você não sabe todas as músicas de cor. Isso não importa quando se pode dançar, gritar e se divertir com pessoas legais.

Mesmo sem isso, a parte em que eles cantaram Do You Want To já valeu os 100 dinheiros que eu paguei pelo ingresso.

Foto: Katherine Coutinho/G1

Nenhum comentário: