segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Morto Até o Anoitecer – Charlaine Harris

Sociologia Vampírica

General Image B2W O universo mitológico de Charlaine Harris é diferente de tudo que você já leu e ouviu sobre vampiros – essas criaturas tão exaustivamente exploradas há tempos. Nem Anne Rice, muito menos Stephanie Meyer fizeram algo parecido.

No mundo de Harris os vampiros “saíram dos caixões”, de acordo com a metáfora que a própria autora usa para representar o reconhecimento e a “inclusão” dos vampiros na sociedade, fato que aconteceu quatro anos antes do início do livro. Essa é a principal diferença de Morto Até o Anoitecer das outras histórias de vampiros: eles andam livremente por aí reconhecidos pelo que são, mas rejeitados por serem representantes do mal, na maioria das vezes. Os vampiros pertencem à noite, dormem em caixões durante o dia, enfraquecem ao contato com prata e seu sangue é usado como uma droga por alguns – ele causa alucinações, melhora a saúde e a vida sexual dos humanos. Pessoas capturam vampiros e os drenam (o que, à propósito, é crime) para fornecer mercadoria a essa mais nova modalidade de tráfico. O True Blood é uma bebida sintética criada pelos japoneses que fornece todos os ingredientes necessários para a sobrevivência de um vampiro, livrando-os da necessidade biológica de morder inocentes (ou não). Até a prostituição evoluiu nessa sociedade: os vampirófilos recebem dinheiro para se deixarem morder.

Na pequena cidade de Bon Temps, no norte da Louisiana, Sookie Stackhouse tem o seu desejo de encontrar um vampiro cara-a-cara realizado quando Bill Compton e suas presas adentram o bar Merlotte, onde a moça trabalha. Sookie logo descobre que o vampiro Bill chegou pra ficar – e mais perto do que ela esperava. Ele irá reassumir a casa de sua família que por acaso é vizinha à casa onde Sookie mora com sua avó desde que seus pais morreram em um acidente de carro quando ela ainda era criança. Além de encantada com o cavalheirismo de Bill – qualidade rara nos jovens da cidade –, Sookie fica fascinada com o fato de não ser capaz de ouvir seus pensamentos. Depois de anos de barulheira alheia, ouvindo (independentemente de sua vontade) os comentários mais íntimos das pessoas (às vezes até não tão gentis, e dirigidos à ela), Sookie se delicia com a paz que encontra nos braços do Sr. Compton.

Enquanto os pombinhos se amam loucamente nas cenas pouco mais que sensuais descritas por Harris, uma série de assassinatos antecedidos por estupros vêm acontecendo na pacata cidade de Bon Temps e mexendo com os nervos de todos. As vítimas são jovens garçonetes que tinham uma certa predileção por vampiros quando o assunto era os prazeres da vida. Sendo assim, Sookie teme por sua vida e pelas daqueles que vivem ao seu redor. Além de ter que se preocupar com seu irmão, Jason – lindo como Narciso e burro como uma tábua –, que por já ter dormido com todas (to-das) as moças assassinadas é o primeiro na lista de suspeitos dos crimes.

Charlaine Harris nos mostra que o cérebro de uma heroína não precisa se transformar em meleca quando ela se apaixona. Sookie Stackhouse é forte, decidida e sabe impor sua personalidade. Apesar disso não deixa de lado sua feminilidade e, como toda mulher, se preocupa com o que vai vestir, com sua aparência e tem inseguranças em seu relacionamento.

A escrita ágil e detalhista da autora nos transporta para o mundo de preconceitos, fofocas, estereótipos, moralismo e mentes estreitas de uma pequena cidade – ainda mais aparentes à medida que Sookie nos põe a par dos pensamentos dos moradores e expõe sua hipocrisia.

Sexy, violento, divertido e detalhista, Morto Até o Anoitecer é ótimo para um mergulho em um universo diferente do habitual e tão bem apresentado. A história de Sookie prossegue na série que, até agora, tem 12 volumes, dos quais 7 têm edições brasileiras. E, pra quem ainda não se deu conta, os escritos de Charlaine Harris deram origem à adorável série da HBO de nome True Blood.

Um comentário:

Lilah Poynter disse...

Wow *-* fiquei hiper curiosa pra ler esse livro. Achei bem interessante a forma como ela inseriu os vampiros nessa sociedade, é no mínimo muitoooo intenso e tensa a história, neah?
Vai pra listinha de livros! xD
Obrigada pela dica *-*